Halitose

Problema comum, com consequências na vida em sociedade, a halitose, também conhecida vulgarmente como “mau hálito”, é uma alteração desagradável do hálito oral. Geralmente manifesta-se com maior impacto de manhã, sendo até certa medida considerado normal mas, quando se torna frequente, é necessário investigar a sua origem.
Esta poderá partir de problemas orais (higiene deficitária ou doença oral) ou ser uma manifestação de outras patologias maiores e sistémicas.
Quando a halitose tem na sua origem a própria cavidade oral, esta pode surgir devido à acumulação de placa bacteriana nos dentes e gengiva, cáries, problemas de origem periodontal, tabagismo, boca seca (xerostomia), próteses dentárias com pobre higiene, efeitos secundários de determinada medicação, entre outras.

O mau hálito também pode ser uma manifestação de problemas sistémicos, tais como problemas do trato respiratório (amigdalite, respiração oral, rinite/sinusite), do sistema digestivo (refluxo gastroesofágico, tumores da boca, faringe),diabetes mal controladas, problemas renais ou hepáticos, entre outros.

De forma a prevenir e controlar a halitose, existem um conjunto de estratégias que podem ser seguidas. Visitas regulares ao Médico Dentista e/ou Higienista Oral (para realizar limpeza dentária profissional e instruções de higiene oral); uma correta escovagem dentária complementada com escovagem da língua (ex. raspador de língua, colutório); controlar a alimentação, evitando a ingestão de alimentos mais condimentados ; ingerir bastante água ; evitar a ingestão de café, álcool e refrigerantes. Torna-se de suma importância investigar a origem da halitose, de forma a estabelecer um correto diagnóstico e tratar o problema na sua origem.